DESTINO: LINHA 308 / DESTINATION: LINE 308


O COLETIVO 308 tem como objetivo estimular distintas formas de pensar a Arte, através da produção coletiva e a intervenção nos espaços.

The collective group COLETIVO 308 has like objective to stimulate distinct forms to think about Art, through the
collective production and the intervention in the spaces.


segunda-feira, 8 de outubro de 2012

Vamos fazer todos juntos a I BIG - Bienal Internacional de Guarulhos do Pequeno Formato

por Alexandre Gomes Vilas Boas

No dia 22 de setembro tivemos a honra de abrir nosso espaço para as conversações que culminaram na formação do grupo que deverá organizar a I B.I.G. (Bienal Internacional de Guarulhos) do Pequeno Formato.
O grupo foi composto por diversos artistas, professores, arte educadores, ativistas e interessados em cultura de modo geral, que cansaram de esperar e tentar entender o caminho tradicional das instituições em Guarulhos. É sabido por grande parte das pessoas, que o salão de artes de Guarulhos, nasceu, de certa forma, já equivocado. Se resistiu tanto tempo, foi graças ao apoio dos funcionários, além dos artistas visuais locais, que com seu trabalho e empenho pessoal, foram dando  sobrevida ao evento anual. 
 
Inúmeras tentativas foram feitas ao longo destes 14 anos (algumas edições não ocorreram por incompetência da administração) para tentar  elevar a sua qualidade: contratações de´especialistas para a análise e curadoria das obras, palestras, monitoria, formação, oficinas, debates entre outras ações, foram algumas das lutas travadas entre funcionários e artistas com secretários de cultura que nada entendem de artes visuais, mas,  que por razões menos de cultura e mais de política partidária e ideológica, por lá passaram.
Acontece, que a formatação deste evento e os frutos daí gerados, não são tão vistosos e rendem poucos votos, quando não, até tiram votos, dado que muitos dos artistas envolvidos, sempre tiveram uma postura ´crítica e dialógica.Sendo assim, o salão que  carece de recursos materiais, apoio técnico e formação, foi sendo esquecido e largado há muito tempo.

O "Salão" ia sobrevivendo com uma verba insignificante, falta de apoio quase total da Secretaria de Cultura, com uma  estrutura precária;condições materiais pífias;falta de divulgação; problemas de logística e segurança das obras e tantos outros problemas difíceis de acreditar (o que não ocorria para grandes eventos como shows musicais de caráter populista).

Sendo assim, por estas e ainda outras razões, é que este grupo se formou para criar uma alternativa a esta  estrutura oficial asfixiante.Não apenas para marcar a ausência do Salão, ou melhor, a sua morte  no ano  de 2012, promovida por quem mais deveria apoiar,mas, também para criar alternativas a esta política estagnada de cultura que assola o município. O modelo "bienal" nasce então, de forma irônica com a  idéia bem humorada ao assumir o nome "BIG" do pequeno formato.A ironia contida no nome não é um detalhe ao acaso. É proposital. Somos grandes, internacionais e estamos quase completamente à deriva. Sem condições materiais e estrutura de apoio. Vivemos e trabalhamos em uma cidade rica que permanece com o caráter provinciano que tanto teme ser associada. Não gostam que isso seja citado. Vivemos em um atraso quase colonial sob alguns aspectos. Não precisamos de licença para pensar e produzir arte, idéias, vida.

A política não se dá apenas em partidos, mas em decisões que atendam ao interesse  de uma maioria. Quem nos representa, não nos representa. Governa em causa própria, sendo assim, Nada de mesuras!Não nos curvamos diante disso.
Rompemos com essa idéia dos burocratas e resolvemos criar o nosso próprio parquinho de diversões. Só que este é bem mais bacana! Todos brincam. Ninguém é o cacique. Não há júri, taxas e coisinhas de gabinetes....  ...vamos fazer uma Bienal,com gente de verdade, amigos, inimigos, opositores, artistas, loucos, gênios, sem a necessidade de nada em troca.

Seria o "deleite estético burguês"?
Não! Nada disto! ´São pessoas organizadas que não precisam de vocês, figuras políticas cinzas demais.
Estamos a mil anos-luz de vocês! Viva A  BIG!!!!

panorama geral dos organizadores reunidos no ateliê do coletivo 308 e o discurso de Dona Leocádia, uma transeunte que nos ofereceu seus preciosos momentos de sabedoria!
 
Adriano Gambim e Alexandre Gomes Vilas Boas
 
Em sentido horário: Eduardo garofalo(308), André Estaravingo, Thays Borazanian, Celestino Neto, Victor Galdino e Camila Romano
 

 Sentido horário: Sérgio Andrejauskas, Sérgio Oliveira(Serjão - 308), Adriano Gambim, Antônio Edson e Janaína Figueiredo
 Adriano Gregório e Verônica Souza
 Thays Borazanian, André Estaravingo e Leandro Roman



 Maria do Rosário (Mary) e Sérjão Augusto

2 comentários:

Serjão Augusto disse...

Alê! faltou o crédito pra Dona Leocádia (que aliás está na 1ªfoto)e que foi nos levar uma palavra de ânimo e persistência!

abração
Serjão

Alexandre Gomes Vilas Boas disse...

Corrigido, Serjão! Abração!