DESTINO: LINHA 308 / DESTINATION: LINE 308


O COLETIVO 308 tem como objetivo estimular distintas formas de pensar a Arte, através da produção coletiva e a intervenção nos espaços.

The collective group COLETIVO 308 has like objective to stimulate distinct forms to think about Art, through the
collective production and the intervention in the spaces.


segunda-feira, 15 de março de 2010

O BUSCADOR, BRÁZ UZUELLE



O BUSCADOR, BRÁZ UZUELLE!
In Memoriam

 
Muito em nossa vida,
acontece de forma sutil

delicada
leve

supra
sopro
prana


são pequeninos, mas, muito poderosos
sinais

a dança da vida
o sabor do café em uma tarde qualquer
um papo sempre retroalimentado

um olhar preciso e terno
o desenho da árvore

o
quanta

e quantas indagações?

micro e macro-cósmicas
feliz por descobrir
e re-descobrir

Assim é o Braz
O maior buscador que conheci

Assim é,
porque agora,
está com todos nós

de forma ainda mais poderosa
mais sutil
mais leve
e mais doce do que sempre esteve.


e ainda mesmo nesta dor
que insiste em esmagar a nossa garganta

ele ensina
de onde está,
na sua gargalhada gostosa, generosa:

a alegria de sua leveza.


Com muito amor,
meu amigo, nosso amigo, fique em paz.



Alexandre Gomes Vilas Boas
15 de março de 2009

11 comentários:

manulorena disse...

Tenho sempre a sensação que a vida pode ser descrita como uma linha e aí vamos caminhando por ela.

Podemos saber mais ou menos aonde começa mas nunca temos a certeza do seu fim, se é que há um.

Encontramos outras linhas pelo caminho e por vários motivos algumas se entrelaçam, outras se aproximam e perduram em tempos diferentes, muitas outras se tocam levemente mas deixam a sua marca na curva, na quebra, no laço, no desvio, já outras se fundem intensas e nunca mais seremos os mesmos ......... nossa linha vai se alterando. Por algumas horas num sábado aí a linha da vida do Bráz encontrou a minha numa tarde tranquila, numa conversa gostosa .... e do mesmo modo delicado ela agora caminha por aí, buscando outras coisas que ainda não sabemos.

Descubro por seu amigo de longa data que vc era um "buscador", por isso aquele jeito tranquilo de quem sabe que numa hora dessas acharemos - ou se já não tinha achado - o fio da meada......

Então tá Bráz.......

Foi pouco tempo mas foi muito bom.

Acho que vou fazer uma pipa, colocar no alto....... ir soltando toda a linha até o fim do carretel e deixar ela ir embora .......

Abraço cara ! Obrigado por aquela tarde tão boa.

Alexandre Gomes Vilas Boas disse...

Manuel, obrigado por esse texto/depoimento tão belo!
Tenho certeza que ele adorou!
Abraço carinhoso!

Carla disse...

Por um momento breve, porém muito significativo, eu tive o privilégio de ter podido estar na doce companhia do Bráz (linhas que se cruzam, como diz tão sabiamente o Manoel). Conhecê-lo foi algo bastante importante pra mim, pois sempre soube do imenso carinho, respeito, admiração e amor que você, Alexandre, tem por ele, e ainda maior que isso, foi poder ter sentido uma recíproca imensamente verdadeira dele por ti, o que me levou sempre acreditar e respeitar a grandeza dessa amizade...que sabemos...será eterna.

"A amizade é um amor que nunca morre" Mário Quintana

Paz Bráz!

Um beijo muito especial para você Ale, meu amor.

Carla Passos

coletivo 308 disse...

è preciso estar inteiro no que fazemos.

Abraço forte

Alexandre Gomes Vilas Boas disse...

Bonito...fica um nó na garganta, mas, um elo tão forte parece ter ligado muito dos pensamentos que vivíamos falando, pensando e que agora, de alguma maneira são manifestados...e re-ligam...
O Religare que ele sempre disse e que mais do que nunca, sinto de maneira muito, mas muito forte mesmo!
Obrigado Carla, meu amor, Obrigado Marcelo, meu amigo.

ArteSão Contemporâneo disse...

uma semana depois...
saio da casca...
olho pros lados,
estou só.

eu e a casca.

pergunto se ela me ouve...
não tenho resposta.
estou só.

antes éramos um só...
agora somos dois,
antes não nos conhecíamos...
agora distantes.

e aí penso: "A vida é assim mesmo"

Não! Não quero que seja assim!!!

Quero estar acolhido,
acarinhado,
amansado.

Quero renascer.

Abrazços meu amigo.

Rodrigo Kenichi disse...

rs...
Conheci o Bráz num dia e me despedi dele em outro, foi pouquíssimo tempo, mas me senti muito bem acolhido por sua bondade, sua simplicidade seu carinho e por sua amizade.
Vou guardar com muito carinho em meu coração a lembrança daquele maravilhoso encontro de amigos no 308.

Saudades!

Katia Ester disse...

Ale..muito obrigada pela homenagem.
Realmente o nó na garganta está presente. A sensação que tenho é que ainda estou anestesiada, sem compreender direito o que aconteceu.
De onde meu pai esteja, está feliz em ver que era tão querido e admirado e tenha certeza que ele o admirava muito também..
Acho que seu maior desejo era tê-lo como genro....rs
Bem, as portas da minhas casa estará sempre aberta. Quando quiser, apareça.
Quero falar depois com você sobre os trabalhos dele. Quero colocar em pratica algumas idéias que tive e vou precisar muito da sua ajuda.

Bjs

.... Pai, sentirei muitas saudades. Esteja onde estiver, fique bem e siga em paz.
TE AMO...

Alexandre Gomes Vilas Boas disse...

Rodrigo, no dia em que nos encontramos e ele te conheceu, ele ficou impressionado com a sua seriedade em relação ao trabalho (uma de suas características).Fomos falando no caminho de volta, sobre cada integrante do 308 e sobre como você era uma pessoa generosa e batalhadora!Como não podia deixar de ser, o Bráz, que era um cara super ligado, descreveu você como se já o conhecesse você há muito , muito tempo! Muito legal o carinho de sua postagem!
Abraço!

Alexandre Gomes Vilas Boas disse...

Kátia,

Não poderia ser diferente.
Seu pai é, para mim( e muitas outras pessoas também), um grande mestre.Sempre , em nossas conversas, caíamos no mesmo assunto, sobre o ser buscador, e sobre o ser verdadeiro...sobre estar inteiro nas situações da vida.
Não terei jamais como agradecer o tanto que ele me ensinou.E esta homenagem, é pouco diante da pessoa que ele representa para mim e de todos nós, do 308.
O que me consola, foi poder ter a reaproximação com ele nestes últimos meses.Fizemos planos de trabalho e pensamos em muitas coisas, como de costume, todas as vezes que conversávamos.
Neste último encontro, ele estava muito, muito feliz, muito leve!E isso me deixou muito esperançoso e contente também!

Acho que, se não fosse por isso, seria mais difícil ainda, para mim, passar por esse acontecimento repentino.

Agradeço muito o carinho com que você e sua mãe, sempre me receberam.
Vou visitá-las sim; saibam que estarei à disposição para ajudar no que for preciso e fazer com que seu trabalho e a sua memória tenham o respeito que sempre foi merecedor.

Contem conosco, com nossa amizade e nosso carinho.

Muita força para você e sua mãe.
beijo.


Alexandre

Alexandre Gomes Vilas Boas disse...

Sérgio, Linda homenagem!
Ele está certamente feliz!